CULTURA AFRICANA TRADIÇÃODE RELIGIÃO

DEIXE SEU COMENTARIO

segunda-feira, 19 de março de 2012

VESTUÁRIO YORUBA


Vestuário yoruba
Antes da colonização os iorubá só usavam roupas típicas, hábito que permanece até hoje, porém com modificações de influência ocidental.


Trajes sociais masculinos (egbejodá)
Para sair, os homens idosos e ricos usam uma túnica grande, chegando até aos joelhos, chamada dàndógó. É comum seu uso entre chefes de cidades.
Outra túnica típica é o agbádá, largo, bem simples, feito em qualquer tipo de tecido. Costuma ser usado por adultos, mas jovens também podem usar.
Já o gbárìyè é uma túnica sem mangas, com dois bolsos e bordados artísticos na frente.
Há também o bùbá, comprido, de tecido leve, e com mangas curtas ou compridas. É aberto do lado na altura do peito, e fecha com três botões. Serve também para usar como roupa de baixo.

 Dànsíkí é outro tipo de roupa que pode ser usada por baixo.
Todas essas roupas são usadas sobre diversos tipos de calça (sòkòtò):

Sányinmotan - tipo de calça apertada nas pernas, que chegava pouco abaixo do joelho. Era usada em situações de trabalho em que a perna da calça pudesse atrapalhar. Hoje em dia não se usa mais.
Soro - é uma calça comprida, até à altura do sapato. A boca não é muito larga. Costuma ser usada com o  
 bùbá.
Kembe - é uma calça tradicional, muito larga desde a cintura até à altura do joelho, depois afinando para baixo até aos pés.
Nenhum iorubá sai com suas roupas tradicionais, sem um chapéu (filà), que pode ser do tipo òrìbì, bentigo, àkete ou eleti aja, que tem pontas laterais, como orelhas de cachorro.




Trajes femininos
Para sair as mulheres iorubá usam:
Aso ìró - é uma roupa enrolada em torno da cintura até aos pés, como uma canga. Costuma ser usada em cima do bùbá feminino, feito do mesmo tecido. Atualmente esses modelos são feitos em tecidos europeus.


Bùbá feminino - Semelhante ao masculino, mas com mangas mais curtas.
Sìmí é uma roupa para ser usada sob o bùbá. Principalmente quando o bùbá é de renda ou lese, devido à transparência.
Sobre o ombro esquerdo usa-se o iborùn (tipo pano da costa das baianas), que pode ser de tecido inglês ou de aso oke.
Quando as mulheres se vestem com esses trajes típicos, é indispensável usar um turbante (gélé) muito bem trabalhado.
Para completar colocam braceletes, anéis e cordões, pintam o rosto com atike e colocam tiro nas pálpebras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário